top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Afinal, a doença de Alzheimer também seria uma resposta frente à “infecção”?

Atualizado: 30 de jan.

O Alzheimer é uma questão muito séria: é a desconexão de um indivíduo com o mundo e seus familiares. Pode ter origem genética, mas também outros fatores são apontados, principalmente a idade avançada.


Entretanto, muitos tratamentos não avançam porque esta relação de causa e efeito não é encontrada em todos os pacientes.


Mas, uma revisão que acaba de sair, publicada na revista PLoSOne, lança a nova possibilidade: a produção da proteína beta amiloide, responsável pela neurodegeneração, também seria uma reação do cérebro à infecção por bactérias, vírus e fungos.


Assim, esta proteína se comportaria com peptídeo antimicrobiano. E mesmo que a defesa seja efetiva, o acúmulo crônico da beta-amiloide vai gerar morte neuronal. Fim das sinapses, finda da memória.


Importante: segundo esta revisão, o nervo olfatório, o nervo trigêmeo e a barreira hematoencefálica seriam vias de penetração para estes patógenos.


Estamos falando de Anatomia, Periodontia, Otorrinolaringologia.



Confira a revisão no link abaixo:


bottom of page