top of page

Leia também:

  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Caminhos no fluxo digital em Odontologia

Estar em "alguma parte do fluxo digital em Odontologia" é importante? Aprender como se conectar com todas as partes do fluxo é importante?

É provável que você esteja no fluxo digital e ainda não saiba.


Veja abaixo, em três momentos:


A requisição de serviços por especialidades no fluxo digital em Odontologia:

Especialidades da Odontologia: 50% com pé no digital.
Especialidades da Odontologia: 50% com pé no digital.

  • Prótese e Implante: com 70% do fluxo, abrangendo os processos por imagem, CAD/CAM e impressão 3D

  • Perio, Estomato, Endo, CTBMF, Orto: com 50% do fluxo cada uma, desde o diagnóstico por imagem até a geração de guias para cirurgias (prototipados ou impressos)



O fluxo por porcentagem de cada equipamento:

Fluxo digital: a relação da sua clínica com prestadores de serviços.
Fluxo digital: a relação da sua clínica com prestadores de serviços.

Sua clínica - dia a dia facilitado:


  • anamnese digital e software de gestão: representariam 20% do seu dia a dia no gerenciamento do consultório, eliminando a maior parte da documentação em papel.

  • aparelho de raio X com sensor digital: com 10% no seu fluxo, mas sendo uma peça fundamental para eliminar os problemas no controle da qualidade radiográfica da sua imagem (revelação) e ainda melhorando a sua comunicação com os serviços externos.


  • escâner IO: mais 10% vitais, facilitando a sua comunicação com os pacientes e os laboratórios, arquivamento de imagens em serviços de nuvem, eliminação de boa parte dos modelos de gesso que ficam guardados, escaneamento dos moldes de transferência para duplicação de perfis de emergência, e outras finalidades diagnósticas.


Entretanto, até este ponto, há um grau de investimento mínimo, possivelmente com o raio x digital primeiro e o escâner IO depois. Considere também a capacidade e qualidade dos seus prestadores locais.
Os planning centers são os 10% satélite, ou seja, em algum momento precisaremos deles. Mesmo assim, a comunicação será em grande parte digital. Então, por exemplo, para quem faz prótese e implante dentário, esses 10% devem ser considerados.

Prestadores externos - imagem:


  • raio X ortopantomografia/telerradiografia: esses equipamentos necessitam de um profissional especializado e dedicado, sendo mais 10% no seu fluxo digital

  • tomografia computadorizada de feixe cônico: esses equipamentos necessitam de um profissional especializado e dedicado, sendo mais 10% no seu fluxo digital


Um novo investimento financeiro mais robusto. Considere também a capacidade e qualidade dos seus prestadores locais: se estiver adequada, é provável que você não ainda não precise. Parece mais sábio deixar esses equipamentos para profissionais que trabalham no dia a dia desse assunto.

Prestadores externos: laboratório:


  • escâner extraoral, CAD/CAM, impressora 3D: são equipamentos de alta complexidade, representando 30% no seu fluxo digital, como extrema necessidade de profissionais dedicado(a)s.


Um novo investimento financeiro mais robusto. Considere também a capacidade e qualidade dos seus prestadores locais: se estiver adequada, é provável que você não ainda não precise. Novamente, são detalhes operacionais que farão você se desviar da sua rotina.

O fluxo e o deslocamento do seu paciente:

Fluxo digital: gerenciando melhor o tempo do seu paciente.
Fluxo digital: gerenciando melhor o tempo do seu paciente.

Para fazer seu paciente se deslocar menos, passando mais tempo na sua clínica, 60% do fluxo digital seriam necessários, o que também significa contratar mais equipe.


Entretanto, se a sua clínica estiver próxima de um centro de documentação, e os prestadores de serviço têm qualidade, a diferença de tempo final seria muito pequena.

No final, é aprender como equacionar o seu tempo com o grau de investimento e o seu relacionamento com os prestadores de serviço. E claro, atualizar-se periodicamente.

Comments


bottom of page