top of page

Leia também:

  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Decisões e avaliações na Reabilitação Oral: segurança e previsibilidade

Atualizado: 30 de mai.


Capa da edição 6 - ano 2023 - revista ImplantNews Reabilitação Oral - ISSN 2675-5610.

A experiência de participar dos seminários sobre planejamento em tratamentos odontológicos complexos é singular. O ápice do momento? Quando temos as radiografias periapicais/panorâmicas, TCFCs, as fotos de todos os ângulos, os modelos de gesso em oclusão (física ou virtual). Somente a partir deste momento é que poderemos realmente dizer, sobre os elementos dentários, se eles podem contribuir no desenvolvimento da futura prótese ou se realmente deveriam ser extraídos.


Chamávamos de Reabilitação Oral, onde a tríade Perio-Prótese-Implante era soberana, logicamente com apoio das outras disciplinas para condução dos casos.


Entretanto, lá se vão belos 22 anos da minha época de seminário na pós-graduação. O tempo passou, e o número de informações acumuladas sobre a biologia dos tecidos moles e duros é significativa. Algumas revistas científicas estão fazendo meio centenário.


Neste período, as publicações começaram a trazer os famosos "guidelines". Hoje, temos diretrizes para quase tudo.

Melhor, estas diretrizes nos impedem de "ver aquilo que nossos cérebros ainda não conseguem ver", por exemplo, pelo pouco tempo de graduação ou pelos impulsos de resolver "problemas biológicos de longa data".


Os dentes e os tecidos gengivais são estruturas belas, complexas, e podem suportar muitos desaforos. Ao mesmo tempo, a ortodontia nos diz que podemos "melhorar o complexo dentogengival" se intruirmos ou extruirmos usando forças controladas. A endodontia e a periodontia nos apontam caminhos para cuidar das lesões endoperiodontais. A dentística restauradora e a prótese conseguem prever se a estrutura dentária remanescente será capaz de suportar ou não uma restauração definitiva. Existem tratamentos periodontais e periimplantares capazes de devolver normalidade aos tecidos correspondentes.


O conhecimento está disponível e precisamos fazer o melhor uso dele para que a nossa prática seja mais segura e previsível.


Nesta edição, a revista ImplantNews traz em sua matéria de capa cinco fatores que influenciam na tomada de decisão para a reabilitação oral:


  • manter ou extrair o dente? fatores a serem considerados

  • o que fazer com os defeitos ósseos nos alvéolos de extração?

  • quando (e o que usar) para fazer aumento horizontal no rebordo cicatrizado?

  • quando (e o que usar) para fazer aumento vertical no rebordo cicatrizado?

  • o que fazer se o implante dentário protruir no seio maxilar?



Acesse o site da revista:



Confira a programação científica do IN24 clicando no link abaixo:



Comments


bottom of page