top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

O que o Dia mundial do DNA representa na Odontologia?


O DNA dentário revela o sexo do ser humano
O DNA dentário revela o sexo do ser humano.

Como estão ligados o dia mundial do DNA e a Odontologia?


Antes: todo mundo sabe (ou deveria saber) que o DNA é uma estrutura altamente protegida. É um código onde se encontra a chave para construção de todas as proteínas do nosso corpo. O DNA está altamente "enrolado" numa estrutura global conhecida como cromossomo. Os famosos 23 pares que você também aprendeu no colégio.


Homens possuem um cromossomo X e um cromossomo Y (XY). Mulheres possuem apenas dois cromossomos X (XX). Isso é biológico. Nascemos assim. Qualquer situação diferente é considerada como síndrome.


DNA, RNA, proteína: foi assim que você aprendeu. Antes disso, havia muitas dúvidas. Não que os cromossomos não fossem os suspeitos, mas não se compreendia bem o que era o DNA, até o dia 25 de abril de 1953, quando Watson e Crick publicaram um dos trabalhos mais famosos da ciência, revelando a helicoidal mágica e as bases nitrogenadas (A, T, C, G).


Então, precisamos do nosso DNA para produzir proteínas: colágeno, por exemplo, um proteína estrutural amplamente distribuída, que também está nos ossos, na gengiva e na dentina humana.


Sendo mais específico: podemos encontrar em nosso esmalte dentário outras duas proteínas: amelogenina e enamelina.


A amelogenina pode ser encontrada em duas regiões do cromossomo X e numa outra região do cromossomo Y.

Outro ponto importante: um defeito no cromossomo X vai ocasionar a amelogênese imperfeita.


Ainda, na Odontologia, quando falamos dos cromossomos sexuais X e Y, pensamos automaticamente na área forense:


O sexo de uma pessoa pode ser identificado pela análise do DNA dentário, especificamente na localização cromossômica da proteína amelogenina. Isto é muito importante nos casos de acidente onde houve incineração porque os dentes são estruturas altamente resistentes ao fogo e decomposição.
Ainda, a análise do DNA das amostras de saliva nos fornece uma pista, por exemplo, de pessoas que receberam ataques sexuais e possuem marcas de mordidas. É o famoso banco de dados genético.
E se quisermos dar outro exemplo, vamos olhar para as BMPs, onde as versões sintéticas só se tornaram possíveis comercialmente graças às técnicas de DNA recombinante, clonagem e PCR.

Não há como negar o papel do DNA na Odontologia.

Viva o seu dia!


Comentarios


bottom of page