top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Os 100 artigos científicos mais citados em Prótese Dentária - parte 5 de 10


Os 100 trabalhos mais citados em Prótese Dentária
Os 100 trabalhos mais citados em Prótese Dentária

Em 2020, a revista The Journal of Prosthetic Dentistry publicou um trabalho, uma análise bibliométrica, dos 100 artigos mais citados no mundo da prótese dentária, entre 1951 e 2019.


Acredito que você, leitor e leitora do meu blog, já tenha visto alguns destes trabalhos. Caso contrário, seria interessante conhecê-los. Boa parte da história e da clínica que fazemos hoje está na lista dos 100 artigos científicos mais citados em prótese.

E como você já percebeu, este é o quinto de uma série de 10 posts.


Vamos matar a sua, a minha e a nossa curiosidade?

Quais são esses trabalhos, curiosidades e o que eles contam?


 

Número 41 (454 citações) - Kribbs PJ. Comparison of mandibular bone in normal and osteoporotic women. J Prosthet Dent 1990;63:218-22.


A pergunta principal neste artigo seria: "será que pessoas com osteoporose teriam condições bucais ósseas diferentes de pessoas sem osteoporose?" Em 112 mulheres, embora os parâmetros periodontais fossem os mesmos, diferenças significativas estavam registradas para a massa e a densidade mandibular (p< 0,001). Ainda, a perda dentária era maior no grupo com osteoporose.

 

Número 42 (453 citações) - Feilzer AJ, De Gee AJ, Davidson CL. Curing contraction of composites and glass-ionomer cements. J Prosthet Dent 1988;59:297-300.


Ao estudar o estresse de contração nas paredes das cavidades durante 24 horas, cada grupo foi representativo de um padrão específico: compósitos foto ativáveis, compósitos químicos e os cimentos de ionômero de vidro. A taxa de contração menor para os ionômeros de vidro foi considerada benéfica do ponto de vista de selamento. Entretanto, os sistemas adesivos ainda estavam recebendo melhorias.

 

Número 43 (445 citações) - Walton JN, Gardner FM, Agar JR. A survey of crown and fixed partial denture failures: length of service and reasons for replacement. J Prosthet Dent 1986;56:416-21.


Este trabalho é um dos clássicos levantamentos em sobrevivência de próteses parciais fixas e coroas unitárias. Na análise de 270 pacientes, o tempo médio de serviço foi de 8,3 anos. Cárie e fratura de porcelana foram os dois problemas principais. As próteses com infraestrutura metálica e recobrimento estético em resina acrílica tiveram maior taxa de sobrevida (13 anos) e as falhas estavam relacionadas ao desgaste ou soltura da faceta estética.

 

Número 44 (445 citações) - Sulaiman F, Chai J, Wozniak WT. A comparison of the marginal fit of In-Ceram, IPS Empress, and Procera crowns. Int J Prosthodont 1997;10:478-84.


Nesse estudo laboratorial, o In-Ceram mostrava a maior discrepância marginal, seguido pelo Procera e IPS Empress. As margens vestibular e lingual tinham maior discrepância do que as margens mesial e distal.

 

Número 45 (443 citações) - Naert I, Quirynen M, van Steenberghe D, Darius P. A six-year prosthodontic study of 509 consecutively inserted implants for the treatment of partial edentulism. J Prosthet Dent 1992;67:236-45.


Diante do sucesso das próteses totais aparafusadas, o próximo passo seria investigar as próteses parciais fixas. Assim, com 509 implantes colocados em 146 pacientes, as taxas de falha se aproximaram dos 4% na maxila e mandíbula. O uso de resina ou porcelana nas oclusais não influenciou a altura óssea ao redor dos implantes.

 

Número 46 (443 citações) - Sorensen JA, Martinoff JT. Clinically significant factors in dowel design. J Prosthet Dent 1984;52:28-35.


Esta revisão de literatura mostrava que, em 1273 dentes tratados endodonticamente, os pinos/núcleos paralelos fundidos e os serrilhados tinham as maiores taxas de sucesso. As falhas com os pinos cônicos fundidos levavam à extração dentária em pelo menos 1/3 desses dentes.

 

Número 47 (442 citações) - Cox CF, Keall CL, Keall HJ, Ostro E, Bergenholtz G. Biocompatibility of surface-sealed dental materials against exposed pulps. J Prosthet Dent 1987;57:1-8.


Com um estudo feito em macacos, os pesquisadores mostraram, do ponto de vista histológico, que o cimento de silicato, fosfato de zinco, amálgama, e um compósito, quando usados como capeadores diretos, não afetavam a cicatrização da polpa. O mais importante era a capacidade de selamento individual de cada material frente à infiltração bacteriana.

 

Número 48 (438 citações) - Zarb GA, Schmitt A. The longitudinal clinical effectiveness of osseointegrated dental implants: The Toronto study. Part I: Surgical results. J Prosthet Dent 1990;63:451-7.


Com 274 implantes dentários colocados em 46 pacientes totalmente edêntulos, a taxa de sobrevivência foi de 90%. Esta série havia sido desenhada para replicar os estudos feitos pelo grupo de P-I Brånemark.

 

Número 49 (437 citações) - Felton DA, Kanoy BE, Bayne SC, Wirthman GP. Effect of in vivo crown margin discrepancies on periodontal health. J Prosthet Dent 1991;65:357-64.


A localização das margens dos preparos pode causar problemas periodontais? Quando coroas totais com mais de 4 anos em função tiveram essas áreas analisadas, os únicos parâmetros

periodontais correlacionados foram o índice de sangramento e volume do fluido crevicular, mostrando que margens subgengivais evocariam este tipo de resposta inflamatória.

 

Número 50 (436 citações) - Pashley DH, Michelich V, Kehl T. Dentin permeability: effects of smear layer removal. J Prosthet Dent 1981;46:531-7.


A permeabilidade dentinária x condicionamento para retenção da restauração, testando os efeitos do ácido cítrico 6% (viria daqui o famoso "15 segundos para dentina") e outras questões que mais tarde influenciaram todo uma geração de novos adesivos.

22 visualizações

Comments


bottom of page