top of page

Leia também:

  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Os 100 artigos científicos mais citados em Prótese Dentária - parte 1 de 10

Atualizado: 30 de mai.


Os 100 trabalhos mais citados em Prótese Dentária
Os 100 trabalhos mais citados em Prótese Dentária

Existem centenas de revistas científicas (periódicos) e papers (artigos) espalhados pelo planeta. Essa avalanche não pôde ser parada, nem mesmo pela pandemia de COVID-19. E um dos aspectos mais comuns de ler artigos é coleciona-los, principalmente se você ministra aulas. Precisamos dessas referências na palma da mão (ou do seu dispositivo portátil)


E quem não tem os seus preferidos ao lado da cama ou na mesa do consultório?


Em 2020, a revista The Journal of Prosthetic Dentistry publicou um trabalho, uma análise bibliométrica, dos 100 artigos mais citados no mundo da prótese dentária, entre 1951 e 2019.


Acredito que você, leitor e leitora do meu blog, já tenha visto alguns destes trabalhos. Caso contrário, seria interessante conhecê-los. Boa parte da história e da clínica que fazemos hoje está na lista dos 100 artigos científicos mais citados em prótese.

E como você já percebeu, este será o primeiro de uma série de 10 posts.


Vamos matar a sua, a minha e a nossa curiosidade?

Quais são esses trabalhos, curiosidades e o que eles contam?

 

Número 1 (2368 citações) - Brånemark PI. Osseointegration and its experimental background. J Prosthet Dent 1983;50:399-410.


O trabalho recordista não foi escrito por um protesista, mas um grupo de pesquisadores em Osseointegração, liderados pelo Prof. P-I Brånemark. Isso só demonstra a importância da implantodontia contemporânea. Praticamente, cobre toda a história experimental em animais e seres humanos.

 

Número 2 (1444 citações) -  Humphrey SP, Williamson RT. A review of saliva: normal composition, flow, and function. J Prosthet Dent 2001;85:162-9.


O interesse pela saliva, historicamente associado à retenção em próteses totais convencionais, passando para o patamar dos marcadores imunológicos e seus mecanismos de defesa.

 

Número 3 (1297 citações) - Eriksson AR, Albrektsson T. Temperature threshold levels for heat-induced bone tissue injury: a vital-microscopic study in the rabbit. J Prosthet Dent 1983;50:101-7.


O interesse pela implantodontia explodiu depois da Conferência de Toronto, em 1982. Assim, era preciso explicar porque a osteotomia deveria ser um processo delicado para que a estabilidade primária do implante dentário fosse obtida e o tecido ósseo tivesse mais chance de cicatrização. Lembrando: os implantes nesta época tinham superfícies "lisas", e toda a biomecânica estava concentrada no seu corpo e no desenho das roscas.

 

Número 4 (1228 citações) - Tallgren A. The continuing reduction of the residual alveolar ridges in complete denture wearers: a mixed-longitudinal study covering 25 years. J Prosthet Dent 1972;27:120-32.


Um dos primeiros trabalhos específicos na área de prótese dentária, analisando o efeito da extração dentária e a graduação reabsorção dos rebordos alveolares na maxila e na mandíbula, onde foi verificado que as arcadas possuem graus e direções de reabsorção variadas.

 

Número 5 (1054 citações) - Goodacre CJ, Bernal G, Rungcharassaeng K, Kan JY. Clinical complications with implants and implant prostheses. J Prosthet Dent 2003;90:121-32.


Em 2003, os pesquisadores acima escreveram uma revisão mostrando como os implantes dentários e as próteses sobre implantes poderiam ter complicações ao longo dos anos, sendo as overdentures e seu encaixes as peças com maior necessidade de reposição. Aqui, já se observava que as próteses sobre implantes não teriam maior taxa de sobrevivência do que as próteses sobre dentes. Um grande alerta.

 

Número 6 (1052 citações) - Blatz MB, Sadan A, Kern M. Resin- ceramic bonding: a review of the literature. J Prosthet Dent 2003;89:268-74.


Este é o trabalho que mudou tudo o que podíamos esperar sobre a adesão em cerâmicas. Os novos adesivos, os mecanismos de jateamento e silicatização, os primers, os silanos, tudo sob uma nova perspectiva, condizente com o momento do dissilicato de lítio e da incorporação das primeiras zircônias.

 

Número 7 (1026 citações) - Smith DE, Zarb GA. Criteria for success of osseointegrated endosseous implants. J Prosthet Dent 1989;62:567-72.


George Zarb, professor brilhante, foi uma das primeiras pessoas a compreender o poder da Osseointegração e como isto mudaria alguns raciocínios em prótese total. Aqui, uma visão geral sobre a aplicação dos critérios para "sucesso" e não "sobrevivência" dos implantes dentários. Mais uma vez, da época dos implantes com superfícies "lisas". Os critérios eram: mobilidade do implante, radiolucidez, perda óssea marginal, conforto do paciente, profundidade do sulco peri-implantar, condição gengival, dano aos dentes adjacentes, violação de estruturas nobres.

 

Número 8 (1026 citações) -  Conrad HJ, Scong WJ, Pesun IJ. Current ceramic materials and systems with clinical recommendations: a systematic review. J Prosthet Dent 2007;98:389-404.


Uma revisão sobre as cerâmicas disponíveis: cerâmicas vítreas, dissilicato de lítio, leucita, feldspática, óxido de alumínio, e o Y-TZP, com seus métodos de confecção (o avanço mundial dos sistemas CAD/CAM), taxas de sobrevivência e as complicações relatadas, adaptação marginal, protocolos de cimentação, cor e estética. Neste momento, a zircônia era reafirmada com grande potencial na fabricação de infraestruturas para recobrimento com porcelana feldspática.

 

Número 9 (1005 citações) - Geng JP, Tan KB, Liu GR. Application of finite element analysis in implant dentistry: a review of the literature. J Prosthet Dent 2001;85:585-98.


Este artigo revisa a situação da análise por elementos finitos (AEF) na implantodontia e discutia os achados em relação à interface osso-implante, e da conexão do implante com a prótese, enfatizando os módulos de elasticidade dos tecidos ósseos cortical, trabecular, e dos materiais restaurações, da construção das malhas, e ressaltando a necessidade de uma análise tridimensional 3D em função da complexidade destas geometrias e dos estresses gerados.

 

Número 10 (988 citações) - Albrektsson T, Wennerberg A. Oral implant surfaces: Part 1 - review focusing on topographic and chemical properties of different surfaces and in vivo responses to them. Int J Prosthodont 2004;17:536-43.


Tomas Albrektsson e Ann Wennerberg foram alguns dos primeiros pesquisadores a perceber que mesmo no implante de superfície "lisa", algumas imperfeições seriam vistas. Mais tarde, baseando-se no padrão de classificação de rugosidade de superfície em mecânica, estabeleceram os parâmetros bi e tridimensionais para categorizar os tipos de superfícies existentes no mercado, seus resultados biológicos, e seus desempenhos clínicos. Na época, os implantes com rugosidade moderada mostravam os melhores resultados, mas já havia uma proposta para as superfícies bioativas.


Comentarios


bottom of page