top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Os vírus da cavidade bucal e o SARS-COV-2: o que precisamos saber?

Atualizado: 23 de jan.


Desenho do vírus da COVID-19
Desenho do vírus da COVID-19

Vírus são elementos que também ocorrem na cavidade bucal, além das bactérias e dos fungos. Interagem? Sim.

Contribuem para a saúde ou para a doença? Tudo depende do seu sistema imune e do grau de higienização que você dedica todos os dias aos seus dentes, língua e gengivas.


Essa "turma" tem uma lista abrangente, passando pelos herpes vírus, o citomegalovírus, o Epstein-Barr, e o mais recente membro, o SARS-COV-2.


Tudo porque é na cavidade bucal (glândulas salivares, língua, gengiva, polpa) que também encontramos a ACE2, enzima na qual a proteína do SARS-COV-2 (spike) pode se ligar.


De acordo com a revisão mais recente, quais seriam as possíveis manifestações ou doenças orais encontradas nos casos clínicos de pacientes com COVID-19?


  • gengivite necrosante

  • pigmentação escura

  • xerostomia

  • disgeusia

  • mucosite

  • infecção periodontal

  • eritema no palato

  • perda das papilas da língua


Entretanto, a verdadeira relação entre as doenças orais e o SARS-COV-2 (efeito de potencialização/bidirecional) ainda é desconhecida.


Por enquanto, o elo de ligação é a "tempestade de citocinas", especialmente na doença periodontal crônica.


E como a higiene oral pode aliviar esses sintomas, aproveite para rever seus conhecimentos no diagnóstico da gengivite e periodontite clicando no botão abaixo:




bottom of page