top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Gengiva artificial tridimensional funcional: a nova fronteira na pesquisa em Periodontia

Atualizado: 23 de jan.


Simulação de um biorreator na cultural tridimensional de células gengivais
Simulação de um biorreator para cultura de células

Pesquisadores das Universidades de Tufts e  Massachussets em conjunto com investigadores do Instituto Forsyth , conseguiram desenvolver um sistema laboratorial muito próximo do funcionamento do periodonto humano.


O processo parte da seda do Bombyx mori,  que é transformada em gel e vertida sobre uma base de polidimentilsiloxano (PDMS) replicando um arquivo impresso tridimensionalmente de uma unidade dentogengival.


Daí, as células gengivais são introduzidas, cultivadas e alimentadas pelo sistema do biorreator, formando mais tarde um tecido funcional, com saliva e outras particularidades.


Mesmo que o sistema ainda não seja capaz de formar osso alveolar, ligamento periodontal e os dentes, a ideia dos pesquisadores é testar a barreira epitelial gengival contra o efeito de cisalhamento do fluxo salivar, e se essa barreira melhora com o tempo.


Entretanto, já foram além e introduziram o P. gingivalis, fato que se mostrou positivo no teste da homeostasia dinâmica celular.


Os próximos passos envolvem a exposição deste modelo às interações complexas entre patógenos e hospedeiros.


Acesse o trabalho clicando no link abaixo:




bottom of page