top of page
  • Foto do escritor PAULO ROSSETTI

Osteoimunologia - Parte 4 : o que fazem os metais parceiros do titânio da tabela periódica?

Atualizado: 18 de jan.




Nas partes 1 e 2, eu comentei que alguns metais participam de processos em nosso organismo. Na parte 3, uma explicação simples de como as células ósseas e imunes podem se comunicar.


Agora, vamos falar sobre alguns metais que são importantes na atividade enzimática e em outros mecanismos, deixando o titânio de lado por um instante.


Ainda, coincidência (ou não), a maioria desses nomes fica na mesma linha da tabela periódica dos elementos químicos, sendo classificados como metais de transição.


Começando pela linha 4 e na coluna 4, da esquerda para a direita, temos:


  • Ti (Titânio) = 22

  • V (Vanádio) =23

  • Cr (Cromo) = 24

  • Mn (Manganês) = 25

  • Fe (Ferro) = 26

  • Co (Cobalto) = 27

  • Ni (Níquel) = 28

  • Cu (Cobre) = 29

  • Zn (Zinco) = 30


Vanádio: importante no metabolismo do colesterol, atividade osteogênica, oxidação da glicose e síntese hepática do glicogênio.


Cromo: transportado pela transferrina, albumina e globulinas, potencializa a ação da insulina para captação da glicose circulante.


Manganês: apresenta papel importante na digestão, atividade antioxidante, no sistema imune, e na resposta neuronal.


Ferro: eritropoiese e no funcionamento de diversas proteínas.


Cobalto: constituinte da vitamina B12, que responde pela manutenção da mielina no sistema nervoso central.


Níquel: essencial para diversos seres vivos, menos nos vertebrados.


Cobre: elemento essencial para vida, participa de diversas enzimas que atuam na resposta imune, metabolismo energético, coagulação sanguínea, formação óssea, síntese de DNA.


Zinco: encontrado em todos os tecidos do corpo, está na proteína que atua como fator de transcrição para produção de matriz óssea.

bottom of page